Espaço de Exposição

SALA DE EXPOSIÇÃO CFCCT

Cidade Tiradentes é um efervescente caldeirão cultural, palco de diversas manifestações artísticas na música, teatro, dança e também nas artes visuais. Maior espaço cultural do território, o Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes (CFCCT) possui uma sala para exposições que recebe regularmente trabalhos de artistas renomados, mas também abrindo para as manifestações artísticas do bairro.

Entre os trabalhos que já passaram pelo local destacam-se a exposição fotográfica “Linhas e Ângulos em Barcelona”, do fotógrafo brasileiro Daniel Flusser, que apresentou o trabalho do fotógrafo Daniel Flusser que apresentou o seu olhar sobre o dia-a-dia dos skatistas na cidade catalã.

Um dos coletivos culturais mais importantes do território, a “OTM Crew” trouxe para o CFCCT a exposição “Entre a rua e a Galeria”, que retratou o universo do grafitti.

A mostra abordou a temática dos Direitos Humanos em obras livres e com técnicas individuais, abordando a diversidade de estilos dos integrantes do coletivo. A exposição encerrou o projeto contemplado pelo VAI (Programa de Valorização de Iniciativas Culturais da Prefeitura de São Paulo) em 2015 que resultou a elaboração de cinco painéis em Cidade Tiradentes temáticos em Direitos Humanos.

Sucesso de público, a exposição “Afroretratos” da artista Renata Felinto reuniu imagens femininas feitas a partir de questionamentos sobre identidade para desconstruir a inferiorização das culturas africanas e afro-brasileiras. Na abertura da exposição aconteceu também a roda de conversa “A presença da mulher negra e afrodescendente como protagonista da cena artística contemporânea.

Vítima da repressão no período da ditadura militar no Brasil, a obra do artista plástico Antonio Benetazzo desembarcou em 2016 no CFCCT. A exposição “Permanências do sensível” apresentou trabalhos do artista plástico, professor e Dirigente do Molipo (Movimento de Libertação Popular), morto em 1972 por agentes da ditadura militar. A mostra incluiu desenhos realizados pelo artista em 1971 (quando ele esteve na clandestinidade), estudos, objetos pessoais e cópias do Imprensa Popular e jornal oficial do Molipo, ambos redigidos por Benetazzo.

A sala de exposição do CFCCT possui 26,6 metros de largura, 12,50 metros de comprimento e 6,65 metros de altura. Também abriga debates, palestras e outras atividades. O espaço fica aberto de segunda à sábado das 10h às 18h. Visitas monitoradas e atendimento a escolas e grupos fechados podem ser agendados através do telefone 3343-8900 ou pelo email programacaocfcct@gmail.com.